sexta-feira, 1 de junho de 2012

UNO E TRINO!


Ícone escrito pelo russo Andrei Rublev


"Cremos em um só Deus, Pai todo poderoso, Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis; E em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho de Deus, gerado do Pai, unigênito, isto é, da substância do Pai, Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial do Pai, por quem todas as coisas foram feitas no céu e na terra, o qual por causa de nós homens e por causa de nossa salvação desceu, se encarnou e se fez homem, padeceu e ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus e virá para julgar os vivos e os mortos; E no Espírito Santo. Mas quantos àqueles que dizem: 'existiu quando não era' e 'antes que nascesse não era' e 'foi feito do nada', ou àqueles que afirmam que o Filho de Deus é uma hipóstase ou substância diferente, ou foi criado, ou é sujeito à alteração e mudança, a estes a Igreja anatematiza."  (Credo do Concílio de Nicéia)

Foi através do Concílio de Nicéia (325) que a Igreja resolveu, poderíamos dizer, uma parte da doutrina em relação ao nosso Deus que é Trindade Santa. Claro que não devemos colocá-lo em uma fórmula, assim o reduziríamos à uma doutrina e não a um Deus. Porém, a conclusão que o Concílio chegou nos ajuda a entender melhor o que este final de semana celebramos. Celebramos nosso Deus que é Uno e Trino, isto é, são três pessoas distintas (Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo) mas que possuem a mesma substância. 
Ao mesmo tempo, chamamos tudo isso de Mistério. Santo Agostinho ao passear pela praia viu um menino tentando colocar com uma colher toda a água do mar dentro daquele buraco. Ao ser questionado por Agostinho, o menino teria dito: "É mais fácil eu colocar toda a água do oceano dentro deste buraco do que você compreender o Mistério da Trindade."

Nenhum comentário:

Postar um comentário